O Instituto de Biotecnologia da Universidade de Caxias do Sul iniciou suas atividades em 1975 e sua atuação ao longo de quase quatro décadas de existência tem sido no sentido de qualificar o ensino de graduação e pó-graduação oferecido pela Universidade, buscando sempre a inovação e estendendo à sociedade os benefícios do conhecimento científico e tecnológico produzido por seu grupo de pesquisadores.

Suas atividades iniciaram-se em novembro de 1975 com o projeto de pesquisa, aprovado pela FAPERGS, "Bases para utilização de clones Schizosaccharomyces pombe para o desenvolvimento de uma tecnologia microbiana para controle de acidez málica dos vinhos". Funcionando inicialmente como Núcleo de Pesquisa em Biotecnologia, em 1979, foi formalizada sua configuração como Instituto, passando a integrar a estrutura organizacional da Universidade.

Em 1981, a partir da realização do Curso de Especialização em Biotecnologia, os professores do Instituto, responsáveis, até então, por disciplinas em cursos de graduação, passaram a responder também pelo ensino de pós-graduação na área. Em 1993, o Instituto de Biotecnologia criou o primeiro curso de mestrado da Universidade de Caxias do Sul, o Mestrado em Biotecnologia, introduzindo a UCS no cenário nacional da pós-graduação stricto sensu. Em 2004, em decorrência da boa avaliação do curso de Mestrado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), foi criado o Doutorado em Biotecnologia e, em 2010, com a criação do Mestrado Profissional em Biotecnologia e Gestão Vitivinícola, o Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia se consolidou com a oferta de dois cursos de mestrado e um de Doutorado. Na última avaliação da CAPES, referente ao triênio 2007/2009, o Programa recebeu da Comissão de Avaliação o conceito Muito Bom e a nota 5, tendo sido o programa melhor avaliado na sua área (Biotecnologia).

Além das atividades de ensino e pesquisa, o Instituto também tem a finalidade de transferir para a sociedade os conhecimentos, tecnologias, produtos e serviços que resultam da ação de seus pesquisadores, responsáveis pela criação de uma série de pedidos de registro de patentes e tecnologias junto ao Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI), que integram o Portfólio de Inovação da Universidade de Caxias do Sul. Recentemente, o INPI concedeu duas Cartas-Patentes a dois processos tecnológicos desenvolvidos no Instituto de Biotecnologia: o "Sistema de tratamento de dados experimentais, método eletrônico e mídia física", de autoria do professor Sergio Echeverrigaray Laguna, e "Processo de absorção de metais pesados presentes em líquidos através da utilização de fungos do gênero Pleurotus, de autoria dos pesquisadores Aldo J. P. Dillon, Stela Maris da Silva, Letícia Osório da Rosa, Johnny Ferraz Dias (UFRGS) e Maria Lúcia Yoneama (UFRGS).

Nos laboratórios, onde interagem pesquisadores e estudantes de graduação e pós-graduação de diversas áreas que se relacionam com a Biotecnologia, realizam-se dezenas de projetos de pesquisa, desenvolvimento tecnológico e inovação, muitos deles com a parceria dos setores público e privado, e com suporte de financiamentos das agências de fomento.

Instituto de Biotecnologia
Diretora: Profa. Dra. Rute Terezinha Silva-Ribeiro - E-mail: rtsribei@ucs.br

imagem da ucs

Campus Sede: Rua Francisco Getúlio Vargas, 1130 - CEP 95070-560 - Caxias do Sul  |  Endereços  |  Créditos

Fone: (+5554) 3218-2100 © 2001-2015 - Universidade de Caxias do Sul - Todos os direitos reservados