ISAM recebe Veículo Aéreo Não Tripulado para sensoriamento remoto e aerofotogrametria.

Assessoria de Comunicação UCS - 18/11/2016 | Editado em 18/11/2016

Aquisição foi possível por meio do TecnoUCS, a partir de edital para o Programa de Apoio aos Polos Tecnológicos, da Secretaria Estadual de Ciência, Inovação e Desenvolvimento Tecnológico.

O Instituto de Saneamento Ambiental recebe, na próxima semana, um veículo aéreo não tripulado (VANT). A equipe do ISAM e professores do curso de Agronomia realizam treinamento durante dois dias, na segunda-feira, dia 21, e na terça-feira, dia 22, no Campus-Sede e no Campus Universitário de Vacaria.

O equipamento permitirá a geração de imagens aplicadas às zonas urbana e rural. A aquisição do dispositivo foi possível a partir de projeto subsidiado pela Secretaria de Ciência, Inovação e Desenvolvimento Tecnológico do Rio Grande do Sul. Os recursos foram destinados à Universidade no âmbito do TecnoUCS, por meio do Programa de Apoio aos Polos Tecnológicos.

O VANT poderá obter informações de uma determinada área agrícola, desde a fase do plantio até a colheita, e em áreas urbanas. As capturas são consideradas de alta precisão, com grande resolução espacial, além de terem ampla área de imageamento. As fotografias são feitas pelo equipamento em tempo real e se diferenciam das coletas de satélites pela precisão e aproximação das imagens.

“O equipamento favorece a tomada de decisão pelos produtores rurais, gestores municipais e empreendedores. Os dados coletados podem ser utilizados para identificar áreas plantadas, verificar o estresse hídrico, analisar as deficiências nutricionais, os ataques de pragas ou ainda as doenças que afetam as folhas e comprometem a produtividade”, explica a diretora do ISAM, professora Vania Schneider.

A aquisição do equipamento deverá impulsionar as pesquisas do Instituto e da área agronômica na UCS por suas potencialidades de uso e geração de informações e conhecimentos aplicados às mais diferentes áreas do conhecimento.

“A Universidade inaugura assim uma nova fase na pesquisa, na inovação e no atendimento aos mais diversos setores da sociedade na área do sensoriamento remoto e aerofotogrametria com uma das tecnologias mais avançadas do mercado na geração de imagens e na agricultura de precisão”, afirma a pesquisadora.