50 anos da UCS marcam sessão da Assembleia Legislativa

Assessoria de Comunicação UCS - 16/02/2017 | Editado em 20/02/2017
Deputados estaduais entregaram placa alusiva ao cinquentenário da instituição.

Espaço do Grande Expediente desta quinta, dia 16, foi reservado à homenagem ao cinquentenário da Universidade

O Grande Expediente da sessão desta quinta, dia 16, da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul foi dedicado à comemoração dos 50 anos da Universidade de Caxias do Sul. Por proposição do deputado caxiense Vinicius Ribeiro (PDT), os deputados enfocaram o histórico e a importância da UCS para o desenvolvimento da região e do Estado. Após, uma comitiva da instituição, liderada pelo reitor Evaldo Kuiava e pelo presidente da Fundação Universidade de Caxias do Sul (FUCS), Ambrósio Luiz Bonalume, foi recebida no Palácio Piratini pelo governador José Ivo Sartori.

Salientando a formação de 100 mil pessoas em graduação e pós-graduação, ao longo de cinco décadas, Vinicius destacou o papel da UCS de, além da formação técnica, preparar as lideranças políticas, empresariais e comunitárias da Serra. Exemplificando, citou a própria trajetória como egresso do curso de Arquitetura e Urbanismo, presidente do Diretório Acadêmico do curso e vice-presidente do Diretório Central de Estudantes. “Àquela época a UCS estava formando não só o arquiteto, mas também o político”, referiu.

Observando o constante reinvestimento em qualificação, princípio de uma universidade comunitária, o deputado atribuiu a esta característica o crescimento da Universidade ao longo dos anos e seu preparo para o futuro. “Nessas cinco décadas a UCS já enfrentou turbulências, crises e desafios, como dificuldades financeiras, movimentos pró-federalização e a concorrência natural do mercado. A cada desafio imposto a instituição precisou se reinventar, se atualizar e continuar crescendo. E assim aconteceu”.

Consolidação nacional

Deputado Vinicius Ribeiro PDT), proponente da homenagem: “É na educação que assenta o grande segredo do aperfeiçoamento da humanidade”.

Como evidência mais ilustrativa desse processo, Vinicius lembrou aos colegas a regionalização da Universidade de Caxias do Sul a partir dos anos 1990, que a faz estar presente hoje com campus em oito cidades, cobrindo 70 municípios que somam 1,3 milhão de habitantes. “Com isso, a UCS é parte essencial no desenvolvimento regional e se coloca entre as melhores universidades comunitárias e particulares do país, buscando consolidar-se no panorama nacional e internacional”, ressaltou.

Por fim, enfocando a estrutura alcançada pela Universidade, Vinicius projetou o avanço da instituição e da região alicerçado na importância conquistada pela UCS a partir da atuação em pesquisa, promoção de inovação e geração de tecnologia , tanto no meio acadêmico como na geração de soluções e oportunidades para a sociedade, tendo como reflexos o desenvolvimento econômico e a inclusão social. “Nosso anseio é de que a UCS continue buscando a excelência no que faz, sem esquecer de seu papel na democratização do ensino, continuando a expandir seu programas de bolsas e incentivos e de toda forma de inclusão de um número cada vez maior de pessoas com menos condições”, apontou, justificando a posição com uma premissa alinhada à missão da Universidade: “Porque é na educação que assenta o grande segredo do aperfeiçoamento da humanidade”.

Reconhecimento em todo o Estado

Além do reitor Evaldo Kuiava e do presidente da FUCS, Ambrósio Bonalume, coordenadoes, professores, funcionários e estudantes (na foto, junto com deputados) representaram a UCS na solenidade.

Além do caxiense, deputados de outras regiões, em nome de suas bancadas, manifestaram-se sobre a relevância da UCS no contexto estadual. Para Juliano Roso (PCdoB), a UCS cumpriu um papel fundamental no desenvolvimento gaúcho até o momento. “Muito do que o Rio Grande do Sul é hoje se deve ao que a Serra e a UCS contribuíram para o Estado”, considerou.

Vilmar Zanchin (PMDB), natural de Marau, cidade próxima à Guaporé e Nova Prata, onde a UCS mantém campi, apontou o sentimento de pertencimento que os egressos mantém com a instituição e o vínculo que une a comunidade acadêmica. Já Miriam Marroni (PT), também professora da Universidade Federal de Pelotas, salientou a a coragem para a criação e a manutenção da UCS “em uma época em que não havia expansão universitária além das federais”.

Oriundo de Nova Petrópolis, Elton Weber (PSB) contou que não chegou a frequentar a UCS, mas recordou que um curso de línguas à distância da instituição, realizado em 1986, ajudou-lhe, dois anos depois, a obter um estágio profissional na Europa. Concluindo, Missionário Volnei (PRB) destacou o reconhecimento da Universidade em tecnologia, pesquisa e qualificação do ensino.

O governo do Estado foi representado na sessão pela primeira-dama e secretária estadual da Justiça, Trabalho e Direitos Humanos, Maria Helena Sartori, e os municípios da região de abrangência da UCS pelo prefeito de Farroupilha, Claiton Gonçalves.

Sartori destaca contribuição para estruturação de municípios da Serra

Na recepção à comitiva no gabinete, Sartori lembrou trajetória política e pessoal a partir da UCS e referiu a Universidade como agente fundamental para a qualificação dos municípios da Serra.

Após a homenagem na Assembleia, a comitiva da UCS foi recepcionada pelo governador José Ivo Sartori no Palácio Piratini. Depois de uma reunião com o reitor Evaldo Kuiava; o presidente da Fundação Universidade de Caxias do Sul (FUCS), Ambrósio Luiz Bonalume; o vice-reitor e pró-reitor de Inovação e Desenvolvimento Tecnológico, Odacir Graciolli; o coordenador da Assessoria de Planejamento e Orçamento, Roberto Boniatti; e o ex-reitor Isidoro Zorzi, Sartori abriu o gabinete para os demais integrantes da UCS – coordenadores, funcionários, o presidente do DCE, Otiniel Alves Borges, e outros representantes da entidade estudantil. O governo do Estado é um dos integrantes do Conselho Diretor da FUCS, mantenedora da Universidade.

Atribuindo importância à UCS na construção de sua caminhada política e na vida pessoal, o governador lembrou sua trajetória como estudante do curso de Filosofia, no qual ingressou em 1969 e formou-se em 1974, como presidente do DCE, entre 1972 e 1975, função na qual deu início à militância política, e, logo em seguida, como professor por dois semestres. Foi também na Universidade caxiense que Sartori conheceu a futura esposa, quando Maria Helena atuou como secretária da entidade estudantil durante sua gestão na presidência. Os dois filhos do casal, Marcos e Carolina, também se formaram na instituição.

O governador amparou-se no período como estudante para destacar a relevância da convivência entre os acadêmicos e professores de diferentes cursos no incremento de sua formação, profissional e humana. “A gente convivia com toda Universidade, as mais diferentes pessoas e conhecimentos”, pontuou. A partir do exemplo, cunhou uma observação sobre o caráter agregador sob o qual o princípio comunitário da UCS a fez surgir e crescer: “As pessoas podiam ser divergentes, mas unidas construíram uma Universidade”.

Abordando também a participação da UCS no desenvolvimento regional e estadual, Sartori salientou o auxílio à organização e estruturação das cidades da região. “A Universidade ajudou não só formando pessoas e profissionais, mas também cumprindo o papel de, pela prestação de serviços, a melhorar os pequenos e médios municípios em diversas instâncias”.

Fotos: Claudia Velho